Pesquisar este blog

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Novena a São Martim

Oração para todos os dias:
Oh! Deus misericordioso, que nos destes no bem aventurado Martim um modelo perfeito de humildade, de mortificação e de caridade; e sem olhar a sua condição, senão a fidelidade com que vos servia, lhe engrandecestes até glorificar-lhe em vosso Reino, entre os coros dos anjos! Olhai-nos compassivo e fazei-nos sentir sua intercessão poderosa.
E Vós, beatíssimo Martim, que viveste somente para Deus e para vossos semelhantes; Vós, que tão solícito fostes sempre em socorrer aos necessitados, atendei piedoso aos que, admirando vossas virtudes e reconhecendo vosso poder, adoramos o Senhor, que tanto vos exaltou. Fazei nos sentir os efeitos de vossa grande caridade, rogando por nós ao Senhor, que tão fielmente premiou vossos méritos com a eterna glória. Amém.
Rezar a continuação a meditação e a oração do dia que corresponda:


Primeiro Dia
Orientação
Ao instruir-se o menino Martim nas primeiras noções próprias de sua idade, começava também a conhecer a Deus que já desde então vinha a ser a razão e divisa de vossa conduta. Colocou-se logo sob o ensinamento de um mestre que era barbeiro, que naquele tempo não somente sabiam a arte próprio da barbearia, senão também o de curar as enfermidades mais comuns... Previa Martim o bem que podia prestar a seus próximos, e assim gostava de tal oficio feliz de poder ser um dia útil a seus semelhantes. Donde se vê, como a Divina Providência ia orientando a seu servo, preparando-o para os fins a que o destinava.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! Feliz Martim, que, contento em vossa condição de filho de uma escrava, vos deixavas guiar pela mão de Deus já em vossa infância; Fazei que nos resignemos em tudo aos desígnios da Providência! A imitação sua Aceitarmos felizes à vontade do Senhor e seus desígnios sobre nós. Vós nos ensinais que se somos bons com Ele, ele será generoso com nós; olhai para nós que queremos servir-Lo fielmente. Ajudai-nos vós, Martim bondoso, e rogai por nós a vosso amado Jesus, Deus verdadeiro,que com o Pai e o Espírito Santo vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.


Segundo Dia
Fé em Deus
Era tão firme a fé de Frei Martim, que suspirava pedindo a Deus a graça de morrer por defende-la. Por sua parte empenhava o tempo que lhe restava livre, em ensinar a doutrina cristã aos índios e negros em Lima; logo ia a outro lugar, distante meia légua da cidade, e a outras fazendas vizinhas, onde ensinava aos humildes trabalhadores e escravos, consolando-os em seus trabalhos e enfermidades, e inspirando-os amor a Cruz. Quisera multiplicar-se, para levar a todas partes o conhecimento de Deus. O Senhor lhe concedeu a graça especialíssima, de estar em dois lugares ao mesmo tempo em cuja virtude, lhe vemos instruindo e consolando aos sofridos negros na África e outros lugares afastados.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! glorioso Frei Martim, que desde vossos primeiros anos aprendeste a andar pelos caminhos do Senhor, firme sempre vossa fé em Deus, zeloso por sua glória e salvação das almas; fazei que vivamos essa mesma fé, como Filhos de Deus que somos! Rogai por nós, para que vos imitemos na fidelidade, e alcançai-nos as graças particulares que sabes necessitamos, já que tanto podes ante nosso rei Jesus Cristo, que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.


Terceiro Dia
Mortificação
Frei Martim, não obstante de conservar-se na graça batismal, se considerava o pior dos nascidos, e indigno do hábito que levava; e a imitação de seu Santo Patriarca, orava quase toda a noite, disciplinando-se até por três vezes de um modo cruel. Não perdia ocasião de humilhar-se, ficando feliz quando se via desprezado ou insultado. Quando lhe honravam pessoas distintas, corria a um lugar oculto, e se disciplinava duramente; se não lhe proporcionava lugar a propósito, se esbofeteava dizendo:
-Pobre infeliz quando mereceste?.., Não sejas soberbo; bem conheces que sois um ruim, que nasceste para escravo destes senhores, e que somente por amor a Deus sofreram tantos religiosos santos.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! Deus misericordioso, que nos diste ao humilde Frei Martim, como exemplo de penitência e mortificação; Sede-nos propício e esquecei nossas infidelidades! e vós, puríssimo Martim, que não somente sofria resignado vossos trabalhos e enfermidades, senão que mortificavas duramente vosso inocente corpo; alcançai-nos do Senhor o espírito de penitência, com o qual, ao menos, soframos com alegria as mortificações e nossos próprios males, para que, purificados de nossos pecados, sejamos aceitáveis a Deus e merecedores de vossa poderosa proteção. Amém.


Quarto Dia
O taumaturgo
Eram contínuos os prodígios do bem aventurado Martim socorrendo necessitados e curando enfermos. Alguns eram remediados ao invocar-lhe estando ausente, e outros com somente tocar sua roupa. Entre estes, sucedeu que visitando a Dom Mateu Pastor, que lhe ajudava no socorro dos pobres, se achava sua senhora, dona Francisca Vélez, com uma agudíssima dor no peito sem conseguir aliviar se com nenhum remédio. Ao chegar o servo de Deus, tomou a ponta de sua capa e a aproximou da parte dolorida, e a senhora se sentiu inteiramente sã. Atônita exclamou:
- Ah! grande Servo de Deus é Frei Martim, pois o só contato de sua roupa me tem curado.
Confundido Frei Martim, lhe disse:
-Deus somente tem feito isto, senhora, dê as graças a Deus, pois eu sou um miserável e o maior pecador do mundo, Deus seja bendito, que toma tão vil instrumento para aliviar à senhora, e para que não perca seu valor o hábito de meu pai Santo Domingo, ainda que o leve tão grande pecador como eu.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! glorioso São Martim; bendizemos ao Senhor pelo grande poder que se dignou outorgar-vos concedendo-vos domínio sobre a vida e a morte ! Animados pela generosidade com que se derrama os dons de Deus, recorremos a vos com a maior confiança. Pedi para nós mais fé, mais amor a Deus e as graças que necessitamos. Tudo esperamos de vossa intercessão! e pelos méritos de Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.


Quinto Dia
O Pai dos pobres
Pela prontidão com que socorria Frei Martim aos necessitados, lhe chamavam Pai dos Pobres. Em muitos casos acudiu milagrosamente aos que lhe chamavam, enfermos ou necessitados. Entre outros, uma pobre a que ele ia socorrer, se viu necessitada, com urgência, de certa quantidade de dinheiro. Não podendo ir a encontrar se com o Servo de Deus, clamou nestes termos, repetidas vezes.
-Irmão Frei Martim, vosso socorro me falta, e não posso participar a grande aflição em que me acho.
Ao cabo de uma hora se apresenta um caritativo bem feitor, precisamente com a quantidade que ela necessitava, dizendo-lhe que não se afligisse, pois Deus conhecia as necessidades dos pobres e sabia remediá-las.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Glorioso São Martim, sempre compassivo, pai dos pobres e necessitados; olhai-nos com piedade e rogai sempre por nós, que vos invocamos com fé absoluta em vossa bondade e em vosso poder. Não nos esqueças ante este Deus, a quem sempre serviste e adoraste. Pai,Filho e Espírito Santo, a quem nós também queremos servir e adorar agora e por toda a Eternidade. Amém.


Sexto Dia
O Amor de Deus
Todo quanto Frei Martim fazia em suas práticas e obrigações e em relação com seus semelhantes, era efeito de seu amor a Deus. Quando orava, com freqüência perdia o uso dos sentidos, ficava muito tempo em êxtase. Muitas testemunhas disseram haver visto repetidas vezes elevado alguns centímetros sobre o solo, em sua cela, na Igreja, e na sala capitular conversando com a imagem de Cristo Crucificado. Se a isto imaginarmos a sublimidade do momento em que recebia a Jesus Sacramentado em que se sentia como em uma glória antecipada, conversando intimamente com seu Deus, não nos estranhará que, aceitando Deus tão grande amor, fizesse tão poderoso a seu fiel e amoroso servo.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! Deus meu, que tão generoso sois com quem vos ama com sinceridade de coração; vos amamos, mas desejamos amar-Vos mais e mais! Fazei de que por intercessão de São Martim, aumente nosso amor a Vós. E vós, Martim benditíssimo, rogai por nós, alcançai-nos o amor puro de Deus, que nos fará doce o viver segundo sua lei. Conseguindo-nos também as demais graças que sabes que necessitamos e esperamos por vossa intercessão poderosa e os méritos de Nosso Senhor. Amém.


Sétimo Dia
Ao céu
Revelou Deus ao bem aventurado Martim o dia e hora de sua morte mostrando-se ele, desde então, mais jovial e contente.
Caiu enfermo, e já não pensou mais que em seu Deus, sobre tudo depois de receber o Santo Sacramento, sem engrandecer-se com as visitas que chegavam ao seu penitente leito de tábuas. Autoridades, prelados, dignidades eclesiásticas e até o mesmo Vice-Rei Dom Luis Fernández, iam dar seus últimos recados para o céu aquele humildíssimo servo fiel, que com freqüência estava em êxtase, no amor de Deus, a quem sempre havia servido.
Se cantou o credo e ao dizer aquelas palavras "se encarnou pelo espírito Santo da Virgem Maria e se fez homem", acercou ao peito o Crucifixo que tinha em suas mãos, e cerrou suavemente os olhos. Todos choravam.. O arcebispo exclamou: Aprendamos a morrer.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final::
Oh! feliz São Martim, que viste coroados vossos trabalhos, vossos mortificações, vossa caridade e vosso amor a Deus com uma morte feliz!, tende compaixão de nós ! Todos vos choram. Os necessitados e enfermos crêem perder um pai compassivo e o remédio de seus males, e dão renda a sua dor chorando vossa morte; mas logo vem que vós não os abandonas; vos chamam e vós segues socorrendo-nos e aliviando nossos males. O estar mais perto do Senhor, glorioso São Martim tem aumentado vosso poder. Ouvi, pois, também nossas humildes súplicas, pedindo ao Senhor por nós para que atenda nossos rogos. E que nossa morte seja a dos justos por vossa intercessão e os méritos de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.


Oitavo Dia
Depois da Morte
Depois da morte de Frei Martim, os milagres se multiplicam. O próprio Notário do processo, dom Francisco Blanca, se achava com uma chaga em um pé, com grande infecção na perna e grandes dores. Tinha que atuar ao dia seguinte. Invocou ao Santo e no momento caiu dormido; ao amanhecer se achou perfeitamente bem, sem infecção, e a chaga seca e sã.
Entre outros prodígios, foram muitos os casos de senhoras que, não podendo naturalmente dar a luz o conseguiram com felicidade ao encomendar-se ao servo de Deus Frei Martim.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! Bem-aventurado Martim! Se, na terra vivias somente para Deus e para vossos semelhantes, hoje, que vos achas já junto ao trono da bondade e de misericórdia, podes dispor melhor de seus tesouros. Se aqui conhecias onde estava a necessidade para remedia-la, melhor a vês desde o céu onde moras.
Olhai, pois, Martim bondoso, aos que a vos acodem com a segura confiança de ser ouvidos. Não enfraqueças as esperanças dos que são felizes em ver-vos exaltado na terra, como Deus vos exaltou levando-vos a sua glória.


Nono Dia
Na Glória de Deus
Examinada em Roma a vida do Servo de Deus Frei Martim e a instancia do rei Felipe IV e de todos os elementos vitais da cidade de Lima, enviou o Pontífice às cartas, nomeando juizes apostólicos para formar o processo solene. Comunicou-se a cidade tão fausta notícia na Catedral, em solene cerimônia, com assistência do Vice-Rei, Arcebispo, demais autoridades civis, militares e eclesiásticas e imensidade de público que não cabia no grande templo; todos derramam copiosas lágrimas de alegria, pois se aproximava o tempo de ver beatificado e canonizado a seu querido Frei Martim. Uns e outros referiam suas virtudes e os milagres feitos por Deus para confirmar o título de Santo em que todos lhe tinham.
Feito o processo, e firmado por mais de cento sessenta testemunhas de feitos milagrosos, se fechou e selou ante o povo. Emocionado o Arcebispo derramando abundantes lágrimas, disse: assim honra Deus a este homem de cor que soube servir-lhe e amar de coração. No dia 29 de outubro de 1837 foi beatificado pelo Papa Gregório XVI. Sua Santidade João XXIII, escreveu no catálogo dos santos a Frei Martim, no dia 6 de maio de 1962.
Pede-se a graça e rezar um Pai-Nosso, Ave-Maria e um Glória
Oração Final:
Oh! Deus, que tão gloriosamente levantas aos abatidos e humildes, e tão generosamente premias o sofrimento e a caridade! Olhai-nos prostrados ante Vós e glorificai a vosso humilde servo São Martim, atendendo-nos em nossas súplicas. E vós, irmão nosso benditíssimo, que já vos vês glorificado ante o trono do Senhor, rogai por nós, tanto mais dignos de compaixão quanto mais necessitados. Consegui-nos as graças que vos pedimos, e que um dia consigamos a glória do céu, onde vives bendizendo a Deus em companhia dos Anjos e Santos por toda a eternidade. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário