Pesquisar este blog

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Novena à São João Macías

Oração Inicial para todos os dias
Pelo a sinal... Senhor meu Jesus Cristo.
Bendito, adorado e glorificado sejas para sempre, Oh!Deus Todo Poderoso e Pai amorosíssimo de todas as almas, e muito em particular das que gemem, abandonadas, neste vale de lágrimas e misérias, como o demostrasteis com vosso servo e advogado meu, o Santo João Macías, dando-lhe por visível guia o discípulo amado São João Evangelista.
Eu vos suplico me concedais o favor que vos peço por esta novena, se é para vossa maior glória e bem de minha alma. Amém
Meditar a continuação à reflexão do dia que corresponda:

Oração final para todos os dias:
Oh! Deus!, Que quisestes que florescesse o Santo João Macías pelo candor dos costumes, enriquecendo-lhe em sua humilde vida com abundância de graças; vos rogamos nos concedas imitar de tal maneira suas virtudes que, limpos de toda mancha, mereçamos chegar a vossa glória. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.
Santa Maria Puríssima. Sem pecado concebida rogai por nós.


Primeiro Dia
Reconhecimento aos benefícios divinos.
Sou cristão e, por isso mesmo, dono de um lindo horto de fértil terra, ricas fontes, chuvas, ventos, frios e calores a seu devido tempo; até a escolhida semente nos vem a mão: somente faz falta nossa cooperação para obter o desejado fruto.
Este fruto é a paz da alma, necessária para alcançar os bens eternos; pois tais frutos fazem as contrariedades, desgostos e enfermidades, serem refrigeradas pelas doces águas que brotam dos Sete Sacramentos.
Fazei, Senhor, por mediação de vosso servo, que reconheçamos e damos-vos graças por tão singular benefício.

Pede-se a graça que se deseja conseguir e a oração final para todos os dias:


Segundo Dia
Conformidade com o próprio estado.
Não é fácil a conformidade, mas é indispensável para que a árvore de nossa vida enraíze e dê frutos saudáveis.
Todos queremos que nada nos falte, mas a experiência nos diz que não é possível; que todos tenhamos direito a sermos iguais é uma de tantas ofensas a Providência de Deus.
Convençamo-nos de que o cargo que nos tem cabido na sociedade é o mais conveniente a nossa santificação, se o ajustarmos aos preceitos de Deus.


Terceiro Dia
Vida cristã.
Verdade é que nos temos batizado, ouvimos a missa nos dias festivos, cumprimos com o preceito pascoal e assistimos a algum ou outro ato religioso, com isto já cremos que somos verdadeiros cristãos;
Mas poderíamos chamar bom comerciante ou bom lavrador ao que raras vezes abre sua loja ou lavra suas terras? Não, é necessário viver como tais, cultivando as virtudes, reprimindo os vícios e amando-nos todos como irmãos.
Quantas vezes odiamos uns aos outros mesmo dentro de nossas famílias.
Que não somente no nome, mas sim que também nas obras possam dizer de nós que somos verdadeiros filhos de Abrão.


Quarto Dia
Do amor a Jesus Sacramentado.
O que diríamos de quem, estando perto do fogo e próximo de sua mão estivesse, e ainda continuasse tremendo de frio? Igual reprovação merece o que na vida do espírito se vê cercado pelos sete pecados capitais, irritado pela soberba, consumido pela avareza, embrutecido pela gula, abrasado da luxuria, e assim dos demais, e não se chega a Jesus no Sacrário, que é, segundo disse o P. Granada, alegria de nossa solidão, mantimento de nossas almas, medicina de nossas alma e escudo contra todos os nossos inimigos.
Se é possível, não deixes de visitá-lo todos os dias no Sacrário, e então experimentaras quão doce e suave é o Senhor.


Quinto Dia
Devoção a Jesus Crucificado.
"Se eu for levantado da terra -disse o Senhor -, todas as coisas as atrairei a mim". Não haverá lugar na Espanha que, por direito de antiguidade, não tenha entronizado, em seu melhor aposento, o santo crucifixo, o mesmo quis, que confortou nos momentos difíceis aos seres queridos. Assim havia de ser, porque somente um Deus Todo-poderoso que sabe de dores, pode valer de bálsamo a nossas feridas. Seja, pois, Jesus Crucificado o muro e porto onde se acabem as paixões e resguardos dos ataques de nossos inimigos, e, em particular, seja nosso fiel consolador na hora da morte.


Sexto Dia
Devoção a Maria Santíssima.
Se divertem os meninos com suas brincadeiras, como se no mundo não existisse mais nada do que eles e seus jogos; mas, ao menor problema, brota em seguida de seus lábios o doce nome de mãe! Até os maiores, que já não podem ter de seus carinhos como um bebê, se desprende neles o desejo de ao menos recordar. Mas este amor, com pessoas adultas, leva muito de interessado; Mas quando aparece a verdadeira Mãe, nada terrena, mas que sabe das dores e que está pronta a escutar e remediar nossas dolências devemos nos entregar a seu amor como crianças. É a Rainha e Senhora dispensadora de todas as graças. Não deixemos de invocá-la diariamente com a reza do santo Rosário, ao menos, com três Ave-Maria ao deitar-se.


Sétimo Dia
Caridade para com os pecadores.
Dignos de compaixão devem de ser os pobres pecadores, mas no geral, como se lhes compadece? muitas vezes, com o desprezo; outras, criticando suas ações, ou, quando não, lhes empurramos estando a borda do precipício. Não, cristão, não; daí-lhe vossa mão para tira-lo do vício, suaviza suas misérias se não está em ti o remedia-las: é nosso irmão. Nunca esqueçamos que fomos formados do mesmo barro, e, se Deus nos deixar de sua mão, cairíamos nos mesmos pecados ou em maiores talvés.
Em nossos sacrifícios e orações não nos esqueçamos para que o Senhor os volte ao verdadeiro caminho.


Oitavo Dia
Amor para com os agonizantes.
Muitas batalhas teremos que sustentar durante a vida, mas nenhuma mais dura e decisiva como a da hora da morte; nela nos vai tudo: honra, propriedades, amigos, casa; mas nada é isto em comparação do eterno porvir: esse é para sempre, é para tremer dos pés a cabeça. Com nossas orações podemos fazer que o Divino Jesus incline a balança até o bem de muitos irmãos que, se não fosse assim, seriam jogados ao fogo eterno. Oremos, oremos pelos agonizantes.


Nono Dia
Amor às almas do Purgatório.
Enquanto vivemos, o pior há de ser que não hajá quem de nós se compadeça ao contemplar nossas misérias; mas, uma vez traspassemos os umbrais da eternidade e transcorra algum tempo, pode ser que se esqueçam de nós. Não, não suceda assim, se com a vara que medirmos seremos medidos, sejamos justos, peçamos pelas almas do Purgatório. Ofereçamos-lhes todos os nossos sacrifícios, e Deus, que as ama tanto, nos pagará com acrescimo nesta e na outra vida. Que não se passe um somente dia, e muitas vezes durante ele, sem que enviemos um "Jesus, Maria e José, socorrei as almas do purgatório".

Nenhum comentário:

Postar um comentário