Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Quinze minutos em companhia do Sagrado Coração de Maria

Oh! Coração Imaculado de Maria, generoso e magnânimo como de Rainha, amoroso e compassivo como de Mãe!: ouvi os suspiros do último de vossos filhos que confiante acude a depositar em Vós os sentimentos e aspirações de sua alma.
Graças, Coração bondosísimo.
Vós sois manancial das divinas benções; de Vos tenho recebido favores sem número.
E quantas vezes, sem dar me conta disso!
Quando Jesus me redimia no Calvário, ali estavas Vós, juntando vossa compaixão a suas dores, e vossas lágrimas a torrente de seu sangue redentor.
Tenho minhas delicias junto ao sacrário na Santa Eucaristia; mas esse pão de anjos é fruto de vosso sangue e vosso amor.
Oh! Coração dulcíssimo de minha Mãe!, Vós sois o canal assinalado por Deus mesmo para distribuir todas as suas graças aos homens. De Vós recebo aquela inspiração..., aquela força para vencer..., aquele consolo em minha aflição.
De Vós me vem aquela luz que me mostrou o abismo a que eu corria..., aquela graça que me moveu a dor de meus pecados... aquele perigo evitado..., aquela saúde recobrada.., me vieram de Vós.
Não tem número vossos favores!.
Graças, Coração dulcíssimo, graças!
E Vós, Coração compassivo, que haveis recebido de mim?
Oh!, o sabeis Vós, e eu também o sei, para confusão minha.
A vosso amor e ternura tenho respondido com fria ingratidão. Essa espada que Vos atravessa de parte a parte o Coração,
Oh! Coração de Maria!, a tenho cravado eu, filho ingrato...; e não um, mas sim muitas vezes.
Aqueles olhares..., aqueles sentimentos..., aquelas intenções inconfessáveis.., aquela soberba oculta..., aquela sensualidade..., aquele escândalo.. Que vos houvesse ofendido outro menos favorecido de vosso amor, seria tolerável; mas que Vos tenha desgostado eu, depois de provas tão eloqüentes e repetidas de vosso amor...
Oh! Coração Santíssimo de Maria!, eu me confundo e arrependo; eu vos pagarei amor com amor..., eu arrancarei a espada cruel que vos atormenta.
Reparação, reparação! Sim, vos a quero oferecer sempre.
Vos amo tanto!
Me doem tanto de ver a ingratidão e as continuas ofensas com que os homens correspondem a vosso amor!
Oh! Coração dulcíssimo de Maria!, a espada cruel que vos atravessa nos falam da paixão e morte de Jesus e dos pecados dos homens que vos enchem de amargura; mas desde hoje eu tenho de consolar-vos. Abençoai minhas resoluções. Eu amarei sempre a Jesus, para que não se perda em mim o fruto de seu sangue...; eu vos prometo morrer antes que pecar, porque não quero renovar vossas dores...; eu pensarei em Vós, pelos que vos esquecem...; vos amarei pelos que vos blasfemam; eu vos servirei com todas as forças de minha alma...
Por vosso amor, Oh! Coração Imaculado!, me apartarei daquela ocasião..., mortificarei meus sentidos...; farei que meus olhos, meus ouvidos, minha língua, minhas mãos..., imitem vossos exemplos de modéstia, de caridade, de servidão...
Oh! Coração de minha Mãe!, para reparar as injúrias que os homens vos fazem, me imporei entre i dia alguns pequenos sacrifícios..., vos oferecei diariamente a oração do Santo Rosário..., vos consagrarei os primeiros sábados de mês, comungando fervorosamente em honra vossa...
E tenho que pedir-vos novos favores, Oh! Coração dulcíssimo! Vos exponho com pleníssima confiança de obtê-los, se convierem a minha eterna salvação. Não disse vosso Jesus: "Peça-me pelo Coração de minha Mãe, e alcançaras quanto desejas"? pois concedei-me que não volte a cair no pecado...; que vos ame em todos os instantes de minha vida...; que ao acabasse este desterro, me leveis a gozar de vossas ternuras no céu...
Coração dulcíssimo de Maria, Vos me haveis de salvar...; eu relembro vossa promessa de assistir na hora da morte com as graças necessárias para salvar se a quantos tenham comungado durante cinco primeiros sábados de mês seguidos. Eu vos darei essa alegria, e confio em vossa bondade e ternura.
E agora, Oh! Coração Imaculado!, Vos conheceis minha debilidade...; daí-me força para vencer aquela dificuldade...; para cortar com tal ocasião... alcançai-me essa virtude que Jesus me pede faz tanto tempo... e o assunto que levo entre as mãos.., e a preocupação que conheceis..., guardai tudo para maior glória de Deus.
Vos peço por meus pais, irmãos, amigos (por aquele especialmente que anda afastado de Deus)..., pela conversão de todos os pecadores, pela perseverança dos justos, pelo alivio de meus queridos defuntos..., pelos sacerdotes, para que sejam santos, pelos missionários...
Coração bondosísimo, daí-me Vós mesmo as graças que sabeis serem-me necessárias...
Que doce é, Maria, gozar de vosso amor!
Que lindo e que terno vosso grande Coração!
E que bem se estamos a vosso lado! mas tenho que ir: me chamam minhas obrigações.
Coração amantíssimo de minha Mãe! Me vou, mas quero deixar meu coração aqui a vosso lado, encerrado em vosso seio amoroso... Ao longo do dia voltarão a Vós minha lembrança e os afetos de minha alma... quanto antes possa voltarei com algum pequeno obsequio praticado em vossa honra, com algum pequeno sacrifício amorosamente aceito em reparação das injúrias que vos fazem.
Oh! Coração de minha terna Mãe, adeus! Fazei que sinta durante o dia vossa proteção e vosso amor. Agora, recebei tudo o do último de vossos filhos...
Adeus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário